pesquisas Publicado em 27 de janeiro de 2017

Nunca é tarde para prevenir a gravidez indesejada: uma avaliação da implantação do serviço de antico

Foi realizada uma avaliação da implantação do serviço de anticoncepção de emergência – AE – nas unidades municipais públicas de saúde e no Hospital Materno Infantil no município de Goiânia, através de inquérito entre os profissionais de saúde da rede pública municipal. Foi utilizado um questionário fechado e auto-aplicável.

Foram entrevistados todos os 300 profissionais de saúde que trabalham diretamente com o Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher – PAISM – nas 43 unidades de saúde ambulatorial da rede pública municipal de Goiânia e do Hospital Estadual Materno Infantil. Houve retorno de 258 questionários (86%). Verificou-se que 80,5% profissionais tinham conhecimento da implantação da AE nas unidades de saúde e 19,5%, não; 78,7% dos pesquisados prescrevem AE nas seguintes situações: no caso relações desprotegidas ( 52,2%), estupros (33%) e outros (14,8%).

Este estudo aponta na direção de algumas conclusões, tais como: a necessidade de uma capacitação continuada para os profissionais do PAISM nas ações dos planejamento familiar, em especial com relação à prescrição ou orientação da AE; na própria prescrição ou orientação da AE, reforçar a importância do uso do preservativo masculino ou feminino, aumentando à prática do sexo seguro; fazer um estudo qualitativo com as mulheres que buscam a AE, sobre a qualidade do atendimento oferecido pelas unidades de saúde no município de Goiânia; estimular a produção de materiais educativos sobre a AE, para serem distribuídos nas unidades de saúde, para profissionais e para a comunidade.